quarta-feira, 20 de março de 2019

DOIS FATORES




Dois fatores se unem, complementando-se um ao outro na ARTE-ENLEVO:

1o. A catarse - Agitar e chacoalhar o espectador para que consiga desembaraçar-se de seus fantasmas, sofismas e falsas crenças.

2o. O insight - Provocar e suscitar essa compreensão súbita que vem ao encontro de uma nova concepção de realidade, de universo através da arte.

Juntos levam ao ENLEVO, no qual o espectador toca o inefável, o incognoscível ou o infinito.

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

Mandala - Artista Marcos A. Cavalcante - SEÇÃO ARTISTA ARTE-ENLEVO



--------------- Marcos A. Cavalcante ---------------

Desenhos


Guarulhos - SP - Brasil




Mandala
Marcos A. Cavalcante

segunda-feira, 18 de março de 2019

domingo, 17 de março de 2019

Religiões indianas

Religiões indianas




Quase todos os escritores dentro do Panteísmo traçam a sua origem na Índia. M. Maret coloca o clímax do seu argumento contra os filósofos franceses mostrando que suas doutrinas vieram da Índia, “a mãe das superstições”. Pierre Leroux, um dos mais hábeis oponentes de Maret, admite o fato de sua confirmação com muitos elementos das lendas da Índia e, completa, com um ar de triunfo, que “todas as religiões e todas as filosofias tem suas raízes na Índia e que se o Panteísmo não nasceu na Índia, haveria um forte argumento contra essa verdade, e então, a humanidade teria errado o seu início.
Na Índia, a crença no intelecto moderno é combinada com a segurança na infinitude dos deuses. Esse é o problema da religião indiana; é o quebra-cabeças de todo templo hindu. Quando esse problema for resolvido para o hinduísmo, haverá luz iluminando os problemas similares que se apresentam em quase todas as religiões. M. Leroux de novo afirma verdadeiramente: “A religião da Índia não concerne só à Índia, concerne à humanidade.”
A história dos pensamentos dos homens nas grandes questões que podem ser exercidas, Deus e a criação, é em todo lugar o mesmo. Podem haver estágios diferentes de progresso, o desenvolvimento pode ser confirmado ou estacado, pode haver um crescimento anormal; mas a despeito da variedade de fenômenos, haverá sempre uma identidade real.
É na Índia que podemos traçar um desenvolvimento mais completo do pensamento religioso. A continuidade é menos quebrada. Parece que estamos aqui de frente para a religião natural e podemos seguir o rastro de início com pouca interrupção para o lugar onde estamos. Em outros países, a sucessão passou de uma nação para outra nação e essa rota não pôde ser sempre traçada; mas na Índia a conexão é visível entre os primeiros homens capazes de elaborar esse pensamento e os últimos e melhores pensamentos das filosofias mais ricas e proveitosas, bem como os piores desenvolvimentos da religião popular.

John Hunt

Livre Tradução do escritor e artista visual Mauricio Duarte (Divyam Anuragi) do livro Pantheism and Christianity . John Hunt . 1884 . Religiões Indianas

Visite o site Panteísmo e Cristandade com todos os textos traduzidos: https://sites.google.com/site/pantheismandchristianity/home



Leia mais: https://www.divulgaescritor.com/products/religioes-indianas-por-mauricio-duarte/

sexta-feira, 15 de março de 2019

Um assassino nunca viveu


Academia Virtual de Letras
Patrono: Paulo Coelho
Acadêmico: Mauricio Duarte
Cadeira: 39



Um assassino nunca viveu

Olhe: Ninguém em sã consciência
pega um fuzil e sai atirando
a esmo para matar sem saber
o que está fazendo, não é?!?

Isto é verdade, caro amigo!
É sim, procedente o que fala,
mas há um porém, este porém:
Sã consciência não vem do nada.
Precisa ser cultivada e
feita crescer até que seja
inerente à pessoa humana...

Sã consciência não dá em árvore.
Mas pode ser sim uma planta,
nem que seja exótica, cujo
fruto nem seja comestível,
mas que traga o perfume desses
tais luxos que chamamos amor,
compaixão, o afeto, a fé...

Sã consciência é o dia a dia bem visto,
bem vivido, bem refletido,
cotidiano que honre homem,
mulher, vida que valha a pena,
vida que possa ser pensada,
que não tira, que soma vida,
que um assassino nunca viveu...

Em homenagem às vítimas das chacinas em Suzano, São Paulo e na Mesquita em ChristChurch na Nova Zelândia.

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)


segunda-feira, 11 de março de 2019

CONVITE

CONVITE


Convido a todo(a)s o(a)s amigo(a)s para o lançamento da Exposição Coletiva de Arte EIXO 2019, que eu, Mauricio Duarte, participo como artista.
Exposição: coletiva EIXO 2019
Lançamento: 30 de março
Horário: Das 19h às 22h
Local: Galeria Reserva Cultural - Av. Visconde do Rio Branco, 880 – São Domingos, Niterói RJ – CEP 24020-007
Entrada Franca
Coordenação de Arte Reserva Cultural – Vilmar Madruga
Coordenação EIXO Arte - Sara Figueiredo (21) 99118 1006 ou eixoarte@gmail.com
Site: www.eixoarte.com.br
Dia 30 de março – Lançamento da exposição virtual coletiva EIXO 2019;
19horas às 22horas – Projeção da exposição virtual coletiva EIXO 2019;
20h – Vídeo performance, Floresta Líquida– Luiz Badia.