sexta-feira, 19 de abril de 2019

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Livros da poetisa BARTIRA MENDES com preços promocionais!!!

Livros da poetisa BARTIRA MENDES com preços promocionais!!!



Livro Gratidão . Meus Versos para Ti, Senhor . Bartira Mendes

Editora Fontenele Publicações. Ano 2016. 80 páginas. 21 cm. ISBN - 978-85-92790-19-6
Apenas R$ 15,00 + correios

E na compra dos dois livros, Gratidão, Meus Versos para Ti, Senhor e Momentos poéticos você paga apenas R$ 25,00!!!

Toda renda será revertida para obras de caridade!!!

Entre em contato para saber mais detalhes: bartiramendesrespirandopoesia@gmail.com

ou 

https://www.facebook.com/bartiramendesrespirandopoesia/

Livros da poetisa BARTIRA MENDES com preços promocionais!!!

Livros da poetisa BARTIRA MENDES com preços promocionais!!!




Livro Momentos Poéticos
Bartira Mendes
Editora Bem Cultural . 98 páginas 

21cm . ISBN 978-85-68356-02-9 

Ano 2015 Apenas R$ 15,00 + correios

E na compra dos dois livros, Momentos poéticos e Gratidão, Meus Versos para Ti, Senhor, você paga apenas R$ 25,00!!!

Toda renda será revertida para obras de caridade!!!


Entre em contato para saber mais detalhes: 

bartiramendesrespirandopoesia@gmail.com

ou 

https://www.facebook.com/bartiramendesrespirandopoesia/

domingo, 14 de abril de 2019

Grau Mestre, concedido a mim, Mauricio Duarte, por ocasião do meu 20o. Louvor Acadêmico pela AVL


Muito contente por ter recebido o Grau Mestre, concedido a mim, Mauricio Duarte, por ocasião do meu 20o. Louvor Acadêmico pela AVL (Academia Virtual de Letras Antonio Aleixo).


"Num instante chegamos a quatro anos de atividades acadêmicas, entre alegrias, tristezas, resistência na proposta de abrir caminhos à arte da palavra versada estamos cá a festejar a pequenina em idade, mas grandiosa e briosa na altivez ao celebração unidos numa só voz a poesia!

Somos 04 (quatro os fundadores que participaram da primeira reunião no chat acadêmico aos sete dias de Março de 2015.
José Manuel Cabrita Neves.
Emilia Guerra.
José Leite Guerra.
Antonio C Almeida.

Iniciamos em 21 poetas todos membros do grupo poético Intenção & Gestos, hoje, somos 52 usufruindo a vitrine esplendorosa AVL, respeitada e com garbo sendo referência com mais de 20.000 mil seguidores; enquanto Presidente da confraria poética tenho a grata satisfação de promover a GRAU MESTRE, José Manuel Cabrita Neves, Joana Tiemann Gabe, Antonio Montes, Mauricio Antonio Veloso Duarte Anuragi, Emilia Guerra, José Leite Guerra e Antonio C Almeida, notabilizados pelo compromisso ideário de permear poesia a todos os cantos do planeta.
Obrigada por terem no coração o bem querer de serem meus amigos, sobretudo serem AVL!"

Maria Ivoneide Juvino de Melo.
Prresidente.
Maceió, 08 de Março de 2019

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Essa força-alma


Academia Virtual de Letras
Patrono: Paulo Coelho
Acadêmico: Mauricio Duarte
Cadeira: 39



Essa força-alma

Essa voz rouca,
língua sedenta,
olhos nublados,
sentidos todos...

Essa massa oh,
disforme e inócua,
passando e só
sem saber, só...

Essa falta oh,
de consciência e
discernimento,
que grassa sempre...

Essa maldita
ilusão, maya,
que se encarrega
de indiferenciar...

Essa força-alma
que esboroa pelo
copo, tentando
afogar todos...

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

terça-feira, 9 de abril de 2019

Minha participação no Livro Antologia Poesia Agora 2019

Minha participação no Livro Antologia Poesia Agora 2019 da Editora Trevo com o poema
O Mundo.






O mundo

O mundo é como um pião.
Gira, gira e não para...

Só para quando chega
a morte, aí não é mais pião,
ilusão; é só lembrança...

O mundo é como um peão.
Mais importante peça...

Mas não serve se deixar
a frente de batalha;
aí não é peão, é, sim, um rei...

O mundo é como um pão.
Alimento básico...

Só não é alimento para
os que partiram daqui;
aí não, o pão não alimenta...

O mundo é como um piau.
Peixe fluvial, de rio...

Só deixa de ser peixe,
quando pega o alto mar;
aí é baleia, imenso mundo...

Mauricio Duarte



Quem quiser adquirir um exemplar, entre em contato comigo por aqui mesmo ou pelo e-mail: duarte.mauricioantonio.maurici@gmailcom ou telefone - fixo: 21 2 7010439 - celular: 21 975533062.

O livro conta com 196 poemas de 196 poetas.
260 páginas
miolo PB
capa colorida
1a. edição: março de 2019
São Paulo
ISBN . 978-85-69577-82-9
R$ 40,00 + FRETE (correios)

segunda-feira, 8 de abril de 2019

As peças expostas na EIXO 2019 por mim estão todas à venda no site Displate

Recentemente passei a participar do site Displate que disponibiliza posters de prints em metal com peças de artes visuais.

As peças expostas na EIXO 2019 por mim estão todas lá à venda em diversos tamanhos.

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)






Clique no link: https://displate.com/mauricioduarte/abstract-expressionism

sábado, 6 de abril de 2019

FRANK ABAGNALE E LAÉSSIO OLIVEIRA

Texto do Escritor e Acadêmico Fernando Félix Carvalho, antigo Presidente da AGLAC:



FRANK ABAGNALE E LAÉSSIO OLIVEIRA

Vi o documentário sobre a vida criminosa de Laéssio Rodrigues de Oliveira que se especializou em furtar livros, desenhos e gravuras raras.
No início dos anos dois mil, os leilões se multiplicavam no eixo Rio-São Paulo e frequentemente seus catálogos registravam a presença de raridades bibliográficas, mapas antigos e obras dos renomados pintores viajantes dos séculos dezoito e dezenove que reproduziram em óleos e aquarelas a inebriante natureza da terra brasiliensis. E os preços subiam constante e vertiginosamente à medida que as disputas se tornavam guerras entre os arrematantes, ao som das ávidas marteladas dos leiloeiros. E muitas vezes essas preciosidades tinham como “proprietários” ladrões refinados na arte de subtraí-las das coleções públicas em museus, bibliotecas e arquivos.
Laéssio começou furtando peças relativas à Carmem Miranda, revistas, fotos, discos, que guardava e vendia nas ruas do Rio de Janeiro e São Paulo, atividade que lhe proporcionou conhecer um contingente de colecionadores dispostos a pagar fortunas, num outro momento, por um pequeno desenho de Debret, Spix ou Rugendas, para ficar apenas nestes. A propósito, em 2008 publiquei, pela Gráfica Falcão, um conto com o título de “O autógrafo”, onde relatei estes momentos de delírio alucinatório em que mergulham os colecionadores.
Aqui cabe um questionamento: Quem é o maior criminoso? Quem furta para vender ou quem compra, sabedor da origem fraudulenta do objeto de desejo? Laéssio é um homem simples, sem posses, cujo amadorismo se vê estampado no seu rosto e linguajar. Ocorre que apenas ele está respondendo criminalmente pelas aventuras, ficando sem punição os adquirentes do malfadado espólio, ocultos pela posição social e econômica de que desfrutam.
Paradoxalmente, como consequência positiva desses atos de vandalismo, pode-se, a partir de agora, aprimorar-se os sistemas de segurança sobre os valiosos acervos das instituições que, em suma, pertencem ao povo brasileiro. Temos uma riqueza artística de grande porte, não apenas nos ambientes fechados dos museus e bibliotecas, mas também ao ar livre, nas praças, nas ruas, nos cemitérios. É urgente uma vigilância efetiva já que os métodos dos meliantes se repetem e são, com algumas exceções, os mesmos em todas as épocas e lugares do Brasil e do mundo, além do que depois do atual aparato tecnológico disponível, qualquer crime deste tipo não aceita mais o carimbo da impunidade.
Nos anos cinquenta, nos Estados Unidos, um jovem, talentoso falsificador, lesou empresas e bancos, públicos e privados, em muitos milhões de dólares. Polícias de vários Estados entraram em prontidão permanente para encarcera-lo, porém o gatuno insistia em brincar e escapar ao cerco, até que um triste incidente familiar o levou a entregar-se. Foi condenado e cumpria normalmente a pena quando recebeu na cadeia uma oferta de emprego honesto. Iria trabalhar para o governo americano, aplicando seus conhecimentos na apuração de fraudes bancárias e falsificação de cheques. Aceitou e tornou-se um dos mais destacados peritos do FBI. Depois de alguns anos de trabalho profícuo, aposentou-se. Hollywood produziu um belíssimo filme sobre o fato com Leonardo di Caprio na pele do falsário recuperado Frank Abagnale Junior.
Por que não tentar a mesma estratégia com o Laéssio? Ele é jovem, inteligente, autodidata, conhecedor de antiguidades, chegando a declarar, no documentário exibido pela Globo News, que o cheiro dos livros o transporta a regiões desconhecidas da mente. Ele demonstra amor pelo passado e tem prazer em manipular relíquias. Sobrevive na corda bamba, aproveitando-se do descaso pela vigia dos nossos tesouros abandonados, aliado ao delírio patológico dos que desejam possuir o proibido, distúrbio comportamental que pode ser vencido inclusive com o implemento de estudos especializados. Em sintonia com as instituições e sempre ao lado do bem, poderia tornar-se um fiel soldado na guarda, manutenção e divulgação dos acervos, parceiro na criação de sistemas de segurança de nossas reservas culturais. Know-how não lhe falta. É muito melhor uma inteligência dessa atuando em favor da sociedade num trabalho limpo, remunerado. E sem prejuízo do cumprimento das penas legais pelos erros cometidos, tudo direcionado para sua reabilitação e reinclusão social. Afinal, não é exatamente este o ideal da Justiça?
Lembrando o episódio Abagnale, há alguns anos um político baiano espertalhão declarou que o que é bom para os Estados Unidos é bom para o Brasil. Neste caso particular estou com os ianques.

Fernando Félix Carvalho

A elite quer


Academia Virtual de Letras
Patrono: Paulo Coelho
Acadêmico: Mauricio Duarte
Cadeira: 39



A elite quer

High society que infringe
a subversão da
subversão, e dirá
da tal própria inversão
desses valores, é,
o que, sim, querem estes
da elite financeira?

A elite quer, quer sempre...

High society que faz
e acontece, que faz
acontecer, deslumbra
as outras classes em grande
monta com elegância,
espelha o espelho da
perfeição, o que querem?

A elite quer, quer sempre...

High society que não
tem problema, nunca ah,
porque? The money talks.
E além disto, sabemos
quem realmente manda aqui.
Afinal, diga amigo:
o que quer nossa elite?

A elite quer, quer sempre...

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)


domingo, 31 de março de 2019

EIXO 2019

Eu, Mauricio Duarte, artista participante da EIXO 2019, ontem, no lançamento da exposição coletiva virtual com projeção no telão para o público na Reserva Cultural, em São Domingos, Niterói - RJ.


























Eixo 2019

Veja minha participação na EIXO 2019 com a série BRUTAIS SUTILEZAS:

https://www.eixoarte.com/mauricioduarte






sexta-feira, 29 de março de 2019

Nuvem branca


Academia Virtual de Letras
Patrono: Paulo Coelho
Acadêmico: Mauricio Duarte
Cadeira: 39



Nuvem branca

No imaginário infantil,
como quando tentamos
ver imagens em nuvens...

Especial é o tal modo
da nuvem se apresentar,
nunca se revelando...

Por tanto que façamos,
também não há fé nessa
imagem, só esperança...

São passagens de água em
nimbus, cúmulos, cirrus,
estratos, altoestratus...

Nuvem branca que não
esteve em lugar algum,
nem irá a lugar nenhum...

Quem saberá qual foi
a imaginação de
criança que a vislumbrara?

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)



EIXO 2019! É AMANHÃ O LANÇAMENTO!

É AMANHÃ:


Eu, Mauricio Antonio Veloso Duarte Anuragi, participo da EIXO 2019, Exposição Virtual Coletiva e convido a todos para o lançamento da exposição a realizar-se:
Dia 30 de março – Lançamento da exposição virtual coletiva EIXO 2019;
19horas às 22horas – Projeção da exposição virtual coletiva EIXO 2019;
20h – Vídeo performance, Floresta Líquida– Luiz Badia.
Local: Galeria Reserva Cultural - Av. Visconde do Rio Branco, 880 – São Domingos, Niterói RJ – CEP 24020-007
Entrada Franca
Coordenação de Arte Reserva Cultural – Vilmar Madruga
Coordenação EIXO Arte - Sara Figueiredo (21) 99118 1006 ou eixoarte@gmail.com
Site: www.eixoarte.com.br

segunda-feira, 25 de março de 2019

Certificado do Evento Duo Patronal da AVL

Certificado do Evento Duo Patronal da AVL (Academia Virtual de Letras Antonio Aleixo) da qual participo como poeta acadêmico.



O poema é: A noite
Academia Virtual de Letras
Patrono: Paulo Coelho
Acadêmico: Mauricio Duarte
Cadeira: 39
Duo com o Patrono
A noite
A noite na boate começa com um convite.
“- Aceita um drink?”
O convite se estende em luzes estroboscópicas e no escuro.
“- Milan disse que você entende o que eu quero.”
Um estranhamento e um clima.
“ – Não sei o que você quer. Mas entendo do que faço.”
Muda de local para a discrição de um apartamento, a dois.
“- Sente-se direito. Estique as costas, como uma mulher de classe. Se não fizer isso, vou castiga-la.”
Inicia seus gatos pardos. À noite todos os gatos são pardos, já foi dito.
“- Tome seu vinho – disse. – Não vou força-la a nada. Pode ficar mais um pouco, ou pode sair se quiser.”
Parte para as condições entre as partes.
“- O que você queria, exatamente?”
Vai até o ponto da indagação e curiosidade.
“ – Você sabe. Dor. Sofrimento. E muito prazer.”
E termina na revelação. À noite todos os gatos são pardos...
Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)
Duo com o Patrono a partir de trechos do livro “Onze Minutos” de Paulo Coelho e inserções de prosa poética meus, Mauricio Duarte.

domingo, 24 de março de 2019

Estudo Projeto Pedagógico - por Maurício Duarte

Estudo Projeto Pedagógico - por Maurício Duarte



Leia mais: https://www.revistaacademicaonline.com/products/estudo-projeto-pedagogico-por-mauricio-duarte/

Curso de Pós-Graduação em: Docência do Ensino Superior
Nome da disciplina: Teorias de Aprendizagem
Nome do Aluno: Mauricio Antonio Veloso Duarte
Data: 26/04/2016

ENUNCIADO
Pesquise o Projeto Pedagógico de um curso de uma Instituição Superior com o objetivo de:
·                    Identifique se no projeto pedagógico do curso, estão implícitos ou explícitos, os referenciais teóricos estudados na disciplina;
·                    Verifique a presença da(s) abordagem (ns) teórica(s) na Filosofia do curso, na grade curricular, nos serviços existentes em decorrência do curso, na organização dos estágios, no método de ensino, ou em outros elementos presente no documento considerado o norteador de qualquer curso superior escolhido para a realização do estudo proposto;
·                    Não se esqueça de inserir o link ou copiar o Projeto Pedagógico ao inicio da atividade.


https://comunicacaovisualdesign.wordpress.com/projeto-pedagogico/

Projeto Pedagógico

Projeto pedagógico do curso de Comunicação Visual Design da Escola de Belas Artes/UFRJ – Bacharelado tem por normatização a Resolução CEG n°02/2003, e está fundamentado em cuidadosa análise das estruturas curriculares vigentes na Escola de Belas Artes. Com os resultados deste trabalho, o Departamento de Comunicação Visual – BAV, organizador do novo Curso teve como balizamento as normas e legislação da UFRJ e do CNE-MEC, especialmente as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Design (resolução n° 5, de 08/03/2004 e resolução n° 2 do CNE-MEC de 18 de junho de 2007).
 Devido às alterações conjunturais e conceituais, principalmente, na base tecno-científica do universo disciplinar do Design e no contexto socioeconômico, importantes mudanças estruturais ocorreram nas dimensões da projetualização-produção-mercado na área do Design.
 Assim, para confrontar estas questões e preservar os fatores e experiências positivas da atual habilitação Programação Visual, urge enfrentarmos a mudança da sua lógica funcionalista e fabril – pensamento moderno –  pela implantação de uma lógica curricular plural e aberta – pensamento contemporâneo. Nos últimos anos, o perfil acadêmico do corpo docente alterou-se, fundamentalmente, em virtude da massiva capacitação em nível de doutorado. O que vem contribuir para esta mudança de rumo alicerçada em novos paradigmas. Vencer a inércia onde as alterações formais foram postergadas devido ao envolvimento secundário de parte do corpo docente e ao predomínio da aplicação asistêmica da empiria profissional. Assim, pretendemos que as atualizações futuras possam ocorrer pari passu com as experiências de investigação e ensino na pós-graduação do corpo docente. O que implica no exercício criativo e contínuo de procedimentos pedagógicos e práticas experimentais oriundos das rotinas de investigação.

Finalidade, Justificativa e Identidade do Curso Comunicação Visual Design
A idéia central desta proposta curricular é a introdução de uma nova concepção acadêmico-profissional na UFRJ para a formação no campo disciplinar da Imagem, na interface Design-Arte, através da implantação do curso de Comunicação Visual Design. A intenção é operar a mudança conceitual do vigente pensamento, moldado na imutabilidade fabril dos suportes e na dominância gráfico–bidimensional, para um pensamento plural e permeável as diferentes rupturas e metodologias imagéticas em um campo, não apenas expandido, mas principalmente rizomático.
A imaterialidade do espaço e as permeabilidades temporais típicas das plataformas digitais e das tecnologias da informação alteraram a apreensão dos valores vinculados ao suporte, presença e produção / difusão, do objeto. A nossa proposta visa reunir o corpo docente e discente na experimentação curricular dos sentidos de abertura, mutabilidade e descontinuidade, presentes no diálogo dos campos disciplinares do Design e da Arte. O campo de atuação do novo curso, considerando a massa crítica do departamento, situa-se num espectro multiradial de atuações profissionais no universo da Comunicação Visual e da criação imagética, participe da cultura contemporânea.
Diferentemente do sistema ora em curso, o nosso estudante será induzido a participar da permeabilidade com os diferentes saberes da Universidade e a usufruir das tecnologias da informação e comunicação digitais. Pretendemos a introdução de um conjunto nuclear de disciplinas, calcadas na maleabilidade e densidade dos cursos de pós-graduação. Neste sentido, esta proposta curricular contempla um incremento das disciplinas teóricas, das disciplinas teórico-práticas, dos laboratórios experimentais de mídias e projetos, do exercício sistêmico de metodologias de pesquisa da Arte, Ciência e Cultura. Não pretendemos apenas que nossos alunos tenham um forte treinamento manual e tecnológico, mas principalmente que desenvolvam um senso crítico aliado a uma base conceitual que os tornem criadores de soluções.
O eixo central desta renovação curricular localiza-se na alteração do atual fluxo restritivo de formação para um fluxo dinâmico, permeável aos valores e potenciais oriundos da trajetória de investigação e atuação na pós-graduação dos seus docentes. Considerando os projetos de pesquisa, o perfil atual do corpo docente do Depto. BAV e a implantação deste currículo em 2009 irão propiciar o incremento e diversificação da base conceitual típica dos campos disciplinares da Comunicação Visual  Design e a ampliação da experimentação teórico-pratica nos laboratórios de ensino e pesquisa.
 Considerando-se, também, o estabelecimento da nova carga horária mínima (resolução n° 2 do MEC de 18 de junho de 2007) para cursos de Graduação em Design, será possível concentrarmos nossos alunos em turnos específicos – manhã ou tarde – o que dará uma previsibilidade temporal na formação do profissional desejado.
Estes fatores contribuirão para o aumento do número de vagas no novo Curso e também reduzir os níveis de evasão gerada seja pela dispersão da grade horária ou por práticas curriculares em desacordo com as novas realidades culturais.
Nesse sentido, uma dinâmica renovadora é assegurada na estrutura curricular tanto pela mutabilidade e flexibilidade dos conteúdos programáticos quanto pela atualização contínua aportada pelo dinamismo das atividades de investigação desenvolvida nos grupos de pesquisa.
Esta concepção implica numa atualização contínua da infra-estrutura material do curso. Neste sentido, nas salas do Departamento foram feitas obras civis e remanejamento dos espaços para acolher esta modificação curricular e os equipamentos de atualização tecnológica, capacitando assim, as atividades extra-disciplinares e projetos experimentais.

Resposta:

A linha norteadora do Projeto Pedagógico do Curso de Comunicação Visual – Design (Bacharelado) apresenta muitos conceitos implícitos do pensamento de Vigotski e de Jean Piaget, explicitamente, a nosso ver, por vários motivos, dentre eles, a deliberada intenção de contextualizar ao máximo o curso à contemporaneidade. Enfocando as “importantes mudanças estruturais nas dimensões da projetualização-produção-mercado na área do Design”, apresenta novos horizontes para um curso no qual somos formados e que chamava-se Desenho Industrial – Programação Visual na década de 1990 e anteriormente, na década de 1970, era conhecido como Comunicação Visual, portanto, a alcunha é um retorno, sendo dado o adendo de Design – palavra que nunca fora admitida na área de estudo no Brasil.  Havendo até alguns teóricos tentado a substituição da palavra Design por projética, nos primórdios do campo de atuação brasileiro, mudança que não foi aceita de forma nenhuma.
Essa contextualização do curso, como verificamos, é bem ampla e abrange os aspectos da sua própria lógica – que passa de uma lógica funcionalista e fabril (pensamento moderno) para a implantação de uma lógica curricular plural e aberta (pensamento contemporâneo).  Tal abordagem indica um aporte científico de filosofia próximo da teoria sócio-histórica de Lev Vigotski, como disse, porque atribui à cultura e à história um papel preponderante senão de grande relevo no processo de aprendizagem, inclusive considerando mudanças de paradigma atuais.  Como por exemplo, a passagem de um pensamento moldado na  imutabilidade fabril dos suportes e na dominância gráfico-bidimensional, para um pensamento plural e permeável num campo, não só expandido, mas rizomático.  Já a chamada “permeabilidade com os diferentes saberes da Universidade” revela uma preocupação epistemológica de cunho fundamental que sinaliza um desejo de produzir pensamento crítico aliado a uma base conceitual; criando profissionais que sejam “criadores de soluções”. O que transpassa claramente uma influência significativa da teoria da Epistemologia Genética do pensador suíço Jean Piaget, explicitamente.
Essa perspectiva do designer que soluciona problemas já existia anteriormente, porém com um enfoque na profundidade do projetual (pensamento moderno) o que hoje se faz com a expansão e a maleabilidade do conteúdo e de práticas tanto de Arte, quanto de Ciência e Cultura (pensamento atual).
Com relação a presença da abordagem teórica na grade curricular e no método de ensino, verificamos que há um “incremento nas disciplinas teóricas, das disciplinas teórico-práticas, dos laboratórios experimentais de mídia e projetos” além da introdução de “um conjunto nuclear de disciplinas” tendo como referência os cursos de pós-graduação.  Dessa forma, pode-se afirmar que é utilizada uma abordagem que considera grandemente a natureza social das pessoas como sua natureza psicológica, advinda de Vigotski; tendo como base de toda criação do homem, a cultura.
Também ocorre uma preocupação com a previsibilidade temporal na formação do profissional, com o estabelecimento de uma nova carga horária mínima, concentrando os alunos em turnos de manhã ou tarde.  O que evidencia o pensamento de que a evasão gerada pela  dispersão da grade horária deve ser combatida, bem como a  possibilidade do aumento do número de vagas no curso.  Daí vemos a abordagem teórica de que o desenvolvimento humano decorre do plano das interações sociais, conforme o mesmo pensador bielo-russo afirmara.
Por fim, há o desejo de uma contínua atualização da infra-estrutura material do curso, capacitando as “atividades extra-disciplinares e projetos experimentais”.  Onde podemos perceber o pensamento de que no campo da aprendizagem acadêmica, o ensino só é efetivo quando permite o desenvolvimento, sendo o professor atuante na Zona de Desenvolvimento Proximal, fazendo a mediação entre o conhecimento e o aluno.
Em suma, é possível ainda afirmar que os processos psicanalíticos segundo Freud estão na base da atividade profissional da maioria dos designers gráficos hoje em dia.  Em aspectos como pregnância e boa forma numa identidade visual ou até numa ilustração, por exemplo, vemos, é lógico, aspectos de percepção visual. Pulsões sexuais, frustrações de infância e mecanismos de defesa envolvem a percepção visual e a leitura visual do cidadão comum e, logicamente, perpassam a formação do aluno em design.  Nesse sentido, podemos vislumbrar tais teorias no enfoque à “investigação desenvolvida nos grupos de pesquisa” neste projeto pedagógico.
A massiva capacitação em nível de doutorado do corpo docente da Comunicação Visual nos últimos anos, podem também mostrar uma afetividade e uma cognição imbricados no fazer acadêmicos próprios das teorias de desenvolvimento do ser humano segundo Henri Wallon, da psicologia humanista de Carl Rogers e da teoria da Aprendizagem de David Paul Ausubel.  Porém, a nossa opinião, é que preponderam as influências da teoria sócio-histórica de Vigotsk, implicitamente e da teoria cognitivista de Jean Piaget, explicitamente.

Referências bibliográficas:

Arnheim, Rudolf Arte e Percepção Visual Uma psicologia da Visão Criadora. 8ª. Edição. Livraria Pioneira Editora São Paulo 1994.

Bigge, Morris L. Teorias da Aprendizagem para Professores . E.P.U. EDUSP . São Paulo 1977.

Oliveira, Rui de Pelos Jardins Boboli Reflexões sobre a arte de ilustrar livros para crianças e jovens. Editora Nova Fronteira Rio de Janeiro 2008.

Ostrower, Fayga Universos da Arte. 8ª. Edição. Editora Campus Rio de Janeiro 1991.

Strunck, Gilberto Como Criar Identidades Visuais para Marcas de Sucesso. 3ª. Edição Rio Books Rio de Janeiro 2007.

Leia mais: https://www.revistaacademicaonline.com/products/estudo-projeto-pedagogico-por-mauricio-duarte/

sexta-feira, 22 de março de 2019

EIXO 2019

Eu, Mauricio Antonio Veloso Duarte Anuragi, participo da EIXO 2019, Exposição Virtual Coletiva e convido a todos para o lançamento da exposição a realizar-se:
Dia 30 de março – Lançamento da exposição virtual coletiva EIXO 2019;
19horas às 22horas – Projeção da exposição virtual coletiva EIXO 2019;
20h – Vídeo performance, Floresta Líquida– Luiz Badia.
Local: Galeria Reserva Cultural - Av. Visconde do Rio Branco, 880 – São Domingos, Niterói RJ – CEP 24020-007
Entrada Franca



Coordenação de Arte Reserva Cultural – Vilmar Madruga
Coordenação EIXO Arte - Sara Figueiredo (21) 99118 1006 ou eixoarte@gmail.com
Site: www.eixoarte.com.br

quarta-feira, 20 de março de 2019

DOIS FATORES




Dois fatores se unem, complementando-se um ao outro na ARTE-ENLEVO:

1o. A catarse - Agitar e chacoalhar o espectador para que consiga desembaraçar-se de seus fantasmas, sofismas e falsas crenças.

2o. O insight - Provocar e suscitar essa compreensão súbita que vem ao encontro de uma nova concepção de realidade, de universo através da arte.

Juntos levam ao ENLEVO, no qual o espectador toca o inefável, o incognoscível ou o infinito.

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

Mandala - Artista Marcos A. Cavalcante - SEÇÃO ARTISTA ARTE-ENLEVO



--------------- Marcos A. Cavalcante ---------------

Desenhos


Guarulhos - SP - Brasil




Mandala
Marcos A. Cavalcante